P>

domingo, agosto 30, 2009

Frase da Semana: "Eu não consigo falar com essa orelha.", dita por Mamãe.

Image and video hosting by TinyPic


Respostas aos comentários, no próximo post...

Marcadores:

Postado por Josei e Kami Sal às 11:47 PM


|

sexta-feira, agosto 28, 2009

É hora de ser uma garota grande agora ou Novo emprego: uma odisseia murphyca - parte II


Photobucket Hoje é a continuação da minha aventura que eu comecei a contar ontem, como você deve ter imaginado pelo "parte II" ali ao lado do título.
Photobucket No começo da semana seguinte aos exames, fui tirar os raios-x pedidos. Depois de dias de calor, Mamãe Natureza lembrou que era inverno e mandou uma frente fria bem no dia em que eu tinha que tirar os raios-x em uma sala fria, usando uma camisola de hospital. Enquanto isto, em outro ponto da cidade, mamãe pedia os resultados dos outros exames e eles saíram dois dias depois. No total, eu fiz 8 tipos de exames.
Photobucket Depois, no fim da semana, foi a vez da avaliação psicológica. Acordei cedo para pegar o ônibus que ia até o shopping e então seguir o caminho à pé. Saí de casa com a música "eu vou pro shopping, shopping" na cabeça, uma paródia tosca, by meu cerebrinho sonado, de Pop pop, da Eliana. Isto não é uma coisa boa, especialmente quando se está indo para uma avaliação psicológica. Desci do ônibus e fiz o caminho que eu achei no Google Maps. Estava errado. Se não era onde o Google Maps indicou, podia ser em qualquer lugar DO MUNDO!!! Felizmente, eu consegui achar fácil. A avaliação durou 3 horas. Foram testes psicológicos, redação, entrevista e uma prova de digitação. Eu tenho prática em digitação, mas não me saí muito bem, graças ao teclado que estava travando.
Photobucket Com o questionário constrangedor respondido e os resultados de exames nas mãos e o da avaliação psicológica já no departamento, fui à perícia médica admissional. Só respondi perguntas para a médica, enquanto a enfermeira media minha pressão. Estava alta, pela primeira vez na vida. E última, também, porque umas 3 horas depois estava normal, quase baixa. Foi só um jeito de o meu próprio corpo me sacanear, porque aí foi lá para minha ficha que minha pressão precisa ser monitorada. O aparelho de pressão ainda deixou um tipo de hematoma no meu braço. Devo ser a única pessoa que se machuca com aparelho de pressão. O laudo psicológico apontou que eu sou comunicativa, e eu achei isto bem estranho, mas bom. Fui considerada apta, apesar da minha pressão arterial sacana.
Photobucket Hoje foi meu primeiro dia de trabalho. Na verdade, foi só meio dia e eu nem trabalhei, mas contou como dia trabalhado. Foi o treinamento de integração, com palestra sobre as regras do jogo, passeio pelo prédio (que é um labirinto) e teria uma excursãozinha para a estação de tratamento de água, mas a viatura que nos levaria teve que ir a outro lugar. Eu estava até... comunicativa hoje. Na sala de treinamento tinha uma maquete tão legal!!! Adoro maquete!!!
Photobucket Da convocação até o primeiro dia de trabalho, foi quase 1 mês. As pessoas já estavam até zoando que eu ia ser astronauta, porque só a NASA seria tão rígida para contratar alguém. Gente maldosa...

Photobucket

Marcadores: , ,

Postado por Josei e Kami Sal às 3:16 PM


|

quinta-feira, agosto 27, 2009

É hora de ser uma garota grande agora ou Novo emprego: uma odisseia murphyca - parte I


Photobucket Como eu já disse um milhão de vezes, passei em um concurso público e fui convocada para ocupar o cargo. Tudo começou com uma convocação por telefone, coisa que não é comum. No dia seguinte ao telefonema, sairia no Diário Oficial. Não saiu. Aliás, não saiu nem a seção onde estaria minha convocação.
Photobucket Fui levar os primeiros documentos e soube que o disquete onde estava a seção em que constava a minha convocação deu pau e por isto não foi publicada. Beleza, hein? Saí do departamento com uma lista de outros documentos que deveria levar, outra de exames médicos para fazer, e um questionário sobre saúde e intimidades que são feitas entre quatro paredes e uma privada. Voltei para casa à pé, com um sapato de salto. Ignorando este fato, passei no Fórum para solicitar um dos documentos, mas o departamento que expede o tal documento só funciona à tarde. Cheguei em casa e fui tentar tirar meu Atestado de Não Fiz Nada. Só que a impressora decidiu que o cartucho não era compatível. Detalhe 1: no dia anterior, eu tinha usado a impressora sem problema nenhum. Detalhe 2: o cartucho era original, da marca da impressora.
Photobucket Na tarde daquele dia, quinta-feira, fui ao Fórum solicitar a Certidão de Boa Moça. Eis que recebo a seguinte instrução: "você vai ali, pega uma guia, preenche na máquina, paga e leva até o x° andar". Primeira máquina que pensei foi na máquina de escrever, mas, né, 2009, imagina que ia ser... E era, das bem velhas, ainda. Tentei uma vez, mas a fita da máquina ficou sem tinta. Mudei de máquina, peguei outra guia e errei porque o espaçamento entre linhas estava errado. Por fim, preenchi, paguei e entreguei no x° andar, para retirar o documento 5 dias depois. Decidi ir ao Economizatempo tirar o Atestado de Não Fiz Nada, já que estava perto e a impressora não ia mesmo colaborar. Perto? Eu estava sob efeito de antialérgico, só por isto achei que era perto. Lá fui eu, com meu sapato de salto, andar sei lá quanto para ir ao Economizatempo. Enquanto estava indo, lembrei que não sabia ir por aquele caminho. De alguma maneira, consegui chegar, peguei o documento e voltei para casa de ônibus. Ônibus errado. Ele parava longe da minha casa e a esta altura, eu não tinha mais pé, só bolhas.
Photobucket Na segunda-feira, fui ao médico pedir os exames. Acordei cedo pra caramba, esperei horrores até ser atendida. E ainda tinha pessoas sociáveis querendo conversar. Às 5:30 da manhã!!! Que tipo de pessoa acha que é legal puxar conversa com estranhos às 5:30 da manhã??? Quando finalmente fui atendida, o médico deu piti, disse que pedir aqueles exames não era obrigação dele e saiu da sala. Deve ter consultado o Oráculo, sei lá, e voltou. Repetiu que não era obrigação dele, mas assinou os pedidos de exame. Fui embora rápido, antes que ele mudasse de ideia.
Photobucket Na terça, comecei a fazer os exames, recebi uma previsão de que receberia os resultados em 20 dias, graças a um exame que eu deveria fazer na quinta-feira, e, à tarde, peguei a Certidão de Boa Moça, no Fórum. No dia seguinte, fui levar o Atestado, a Certidão e outros documentos que estavam faltando, e me disseram que eu devia apressar os resultados de exames. Mexicana que sou, desesperei.
Photobucket Conseguirá Josei pegar os resultados de exames a tempo? Lady Murphy dará uma folguinha para esta pobre-porém-honrada blogueira? Não perca a continuação, amanhã, neste mesmo blog, em um horário qualquer...

Photobucket

Marcadores: , ,

Postado por Josei e Kami Sal às 10:28 AM


|

segunda-feira, agosto 24, 2009

Estas pessoas falando, elas falam sobre mim


Photobucket Nesta semana ainda, eu vou contar toda a minha aventura entre a convocação e a nomeação para o cargo público, mas por enquanto, fiquem com uma pequena cena que eu presenciei indo para uma das etapas: o lugar onde eu devia ir era ao lado de um hotel. Eis que saem 2 sujeitos conversando, um deles dá a volta num carro e entra. O outro o chama, dizendo: "não, cara, este não é meu carro. O meu é o da frente". O cara tinha entrado num táxi por engano...
Photobucket Meu pai esteve em Pinheiral e conheceu uma amiga do meu irmão. A garota sabe tudo sobre mim, inclusive a cor do meu quarto!!! Detalhe: ela nem me conhece, nunca me viu, nunca falou comigo. Meeeedo!!!
Photobucket Era 17/08 e eu tive um sonho com uma coisa do passado. Quando acordei, lembrei que este sonho tinha a ver com uma coisa que aconteceu em um outro 17 de agosto. Fiquei tentando lembrar quando tinha sido, há 5 anos, há 6 anos. Até que eu cheguei à data exata: tinha sido há 13 anos. Eu ando super sem noção de tempo. No mesmo dia, eu estava pensando que era primeiro dia de aula no campus reserva ecológica e que se fosse no ano passado, eu também estaria indo para a aula. Só então, lembrei que no ano passado já era formada, e no ano retrasado, fazia estágios e não tinha aula. A última volta às aulas pós-férias de julho foi há 3 anos. Pior ainda foi quando eu doei sangue pela segunda vez neste ano. A enfermeira perguntou há quanto tempo tinha tomado a última vacina e eu: "foi no fim do ano passado. Ou foi no começo deste ano? Acho que foi há uns 2, 3 meses... Não, setembro do ano passado. Não, eu tomei uma neste ano..." Aí, parei e fiquei olhando para a cesta de lixo, com uma expressão de azulejo. Ainda bem que era doação de sangue, não exame mental, ou então constaria que eu estou desorientada no tempo...
Photobucket Por falar em desorientação, dia destes, durante o almoço, rolou o seguinte Diálogo em família:
Josei: Eu estava andando pela loja Nerren, para conhecer, e não sabia como sair. Olhando do fundo da loja, parece que não tem saída.
papai da Josei, obviamente me zoando: Por que você não esperou a loja fechar, aí, quando os funcionários fossem embora, você ia atrás.
mamãe da Josei (ela estava falando sério?): Você podia ficar seguindo alguém. Uma hora, a pessoa ia sair da loja e você ia atrás.
Josei: Eu podia seguir uma pessoa, aí, quando ela achasse que eu era uma psicopata e chamasse os seguranças, eles iam me levar para fora.
papai da Josei, ainda tirando sarro: Você podia acionar o alarme de incêndio, e quando todo mundo corresse para fora, você ia junto.
Photobucket Eu testei a ideia de seguir alguém, mas em outra situação, quando eu fui a uma palestra em um prédio que eu não conhecia, logo não sabia onde ficava o auditório. Subi as escadas atrás de um grupinho, achando que eles também estavam lá para a palestra e, quando cheguei lá em cima, notei, além da cara de espanto das pessoas que eu segui, que o auditório não era lá. É, nem sempre o método de seguir pessoas dá certo...
Photobucket No dia da palestra, por sinal, eu estava arrumando minhas coisas para sair e minha mãe estava limpando a janela do meu quarto, quando surge uma mulher no portão e pergunta se podia pegar o tapete que estava jogado no terreno perto da minha casa. Minha mãe disse que não foi ela que jogou, mas se estava lá, o dono não queria mais e ela podia pegar. Em vez de, sei lá, pegar o tapete e ir embora, a mulher ficou parada no portão da minha casa cantando uma música do Zezé di Camargo e Luciano. Ela ainda se perguntou como levaria o tapete sozinha, mas acho que depois ela descobriu um jeito, porque quando eu saí, o tal tapete não estava lá.
Photobucket Gente, vocês viram as vinhetas dos 28 anos do SBT??? Adorei!!! Só o SBT para ter envergadura moral de fazer uma coisa destas... Os meus favoritos são a dos garotos do SBT, inclusive o patrão, à la Chippendales (se não sabe quem são Chippendales, clique aqui - não recomendado para garotos que não gostam de garotos) e a do Sílvio e da Patrícias dançando hula-hula. Quem quiser fazer sua própria vinheta, é só clicar aqui. (uau, quantos links!!!)

Photobucket

Marcadores: , , , , ,

Postado por Josei e Kami Sal às 12:45 PM


|

domingo, agosto 23, 2009

Frase da Semana: "Ah, minhas bolinhas na descida, eu devo ter jogado gato na cruz.", dita por Kami Sal.

Photobucket


Miau:

Mokona-sama: Acho que cortar papo chato é um dom não compartilhado por muitas pessoas. Conheço pouca gente que consegue.

Suzan-chan: Ah, sou muito mais dizer que não quero o cartão.

Vana-san: Nossa, telemarketing em japonês ninguém merece...

Érica-san:Obrigada.

Marcadores:

Postado por Josei e Kami Sal às 9:51 PM


|

sexta-feira, agosto 21, 2009

Dias de chuva são agradaveis, mas não obrigada


De repente você abre o MB e se depara com dois posts de peixinhos pretos seguidos e pensa "É o fim dos tempos!!! Kami Sal, aquela blogueira relapsa que às vezes passa semanas só postando a frase da semana, postou duas vezes na mesma semana.". Só posso dizer, é vero. Estou postando duas vezes na mesma semana. Mas calma, antes de você sair por aí, agitando os braços aos céus gritando "Klaatu, salva eu!!!" (o que atrairia um tipo de atenção que ninguém quer, diga-se de passagem), eu explico. Como o irmãozinho dessa ilustre blogueira vai ter de passar a sexta em Sorveteria, decidi postar para atualiza-lo sobre minha desimportante vidinha sem graça. Sem graça, desimportante, mas bizarra.
E pra que a bizarrice urja, não é preciso sair de casa. Nesses tempos de modernidade, dá pra fazer tudo por telefone. E eis que estava eu, quietinha em casa, no auge do cuidar da minha própria vida, quando o telefone toca. E lá fui eu atender. Era telemarketing...
Atendente 1: "Srta Kami Sal?"
Kami Sal: "Sou eu."
Atendente 1: "Srta Kami Sal?!?"
Kami Sal: "Sou eu."
Atendente 1: "Srta Kami Sal!?!" - numa animação que não é comum aos atendentes de telemarketing, parecia até que ele havia esperado toda a sua vida para ouvir a minha voz no telefone e agora esse sonho de infância se realizava.
Kami Sal: "Sim."
Atendente 1: "Aguarde um momento." - ligação sendo transferida. Aposto que enquanto isso ele levantou de seu cubiculo e gritou, com os braços ao alto, numa tipica pose de comemoração: "EU CONSEGUI!!!. Enquanto isso, eu estava as voltas com a outra atendente.
Atendente 2: "Srta Kami Sal?"
*Ai, bolinhas na descida, tem um premio pra quem conseguir falar meu nome do telefone?*
"Sim."
Atendente 2: "Devido ao seu bom relacionamento com o comércio de Bizarrelandia, a srta foi contemplada com um cartão de crédito."
*Que relacionamento??? Eu não compro nada, não poderia mesmo estar devendo.*
Kami Sal: "Eu não quero um cartão de crédito."
*Pausa*
Atendente 2: "Mas a srta nem esperou eu falar as vantagens do cartão..."
Kami Sal: "É. Eu não quero um cartão de crédito.
Afora isso, terminei a caixa de costura. O resto fica pra um um próximo post.

Image and video hosting by TinyPic


Nebulosidade variavel:

Mokona-sama: É, na vera, eu não contei essa história pra minha mãe na época, acho que ela iria achar mais chocante do que engraçada. Mas agora já passou tanto tempo que chegamos na fase "vamos rir muito disso".

Suzan-chan: Ah... Que bom. Depois eu mando o numero da conta pra você depositar os R$ 200...

Stafora-ni: Bom, não posso mesmo dirigir sem um carro, não é? Não tenho dinheiro, logo não posso comprar e minha meta de não cometer crimes me impede de roubar um... Seus pais nunca notaram que você tem miopia, porque você não tem miopia. Pensamentos tragicos devem ser geneticos... Não gosto do vizinho.

Marcadores: ,

Postado por Josei e Kami Sal às 11:38 AM


|

terça-feira, agosto 18, 2009

Não espere eu ir embora pra perceber que você me adora


Preciso confesar uma coisa. Bom, na vera não preciso realmente, mas como tenho um blog, vontade de escrever e não muito assunto, resolvi fazer uma confisão. Eu queria saber atirar shurikens. Mas não era pra atirar em qualquer um, não. Nem ia atirar em pessoas, queria atirar em aparelhos de som. Acima de tudo no som do carro do vizinho que mora duas casas pra lá. Bolinhas na descida, se ele quer ouvir musica não tenho nada com isso, mas eu não quero ouvir e, principalmente, não quero ouvir a mesma musica que ele (porque o gosto musical dele é pessimo). Ah, como seria bom destruir o aparelho de som do vizinho...
E não é segredo, principalmente pra quem lê o meu plurk, que faço artesanato. Ultimamente, tenho me dedicado as caixas de madeira e, no atual momento, estou reformando a caixa de costura de Mamãe. O problema é que eu fico tendo pensamentos tragicos sobre como posso me machucar tirando os pregos do fecho da caixa. Fico imaginando que o martelo vai escapar da minha mão e bater na minha testa/boca/nariz, que vou expremer meu dedo com o martelo (realmente, isso eu fiz)...
Agora contando sobre os pensamentos tragicos da caixa de costura, acabei lembrando dos pensamentos que tenho durante as caminhadas. Não é sempre, mas principalmente quando estou passando pelos trechos com terreno mais acidentado, fico pensando que vou cair. Mas não penso simplesmente que vou cair, eu acho que vou cair de boca no chão, cortar o lábio e quebrar os dentes da frente (acho que é trauma da vez em que, realmente, cai de boca no chão, cortei o lábio e quebrei os dentes da frente)... Ou então, que vou cair e sair rolando ladeira abaixo (isso nunca aconteceu)... Tenho de admitir que sou um pouco trágica, às vezes.
Já que esse é um post todo sobre mim (desculpem a falta de modéstia) e que tia Josei já abriu um precedente quando publicou suas recordações pré-MB, resolvi fazer o mesmo e contar a bonita história triste de como resolvi que era hora de procurar um oftalmologista. Foi numa linda noite estrelada de verão, há longínquos 11 anos, Kami Sal acabara de sair de sua aula e esperava Papai ir busca-la (porque os ônibus pra casa terminavam antes das aulas). Eis que eu vejo, do outro lado da rua, um ser baixinho, gordinho, cabelos acinzentados, trajando bermuda e camiseta branca. Não tive duvidas, era Papai. Bom, não é que eu estava errada e o ser que achei que era meu pai mal vestido, era uma velhinha gorda. Mal vestida.
Ainda falando dessa ilustre blogueira, devo admitir que, toda vez que vejo essas reportagens sobre coisas tipicas de brasileiros, me sinto um alien. Sim, porque nessas reportagens todo brasileiro gosta de futebol, carnaval, samba, pagode, feijoada, cerveja, churrasco, café, arroz branco, bife, feijão, Roberto Carlos e roupas curtas, justas e coloridas. E eu odeio futebol, carnaval, samba, pagode, feijoada, cerveja, churrasco, café, arroz branco, bife, feijão, Roberto Carlos e roupas curtas, justas e coloridas. Também me sinto um alien quando dizem que toda mulher gosta de comprar roupas, sapatos e bolsas. Odeio ficar experimentando roupa na loja (mas tem que provar antes de comprar, depois não adianta ficar arrependida), tenho ganas de enforcar aquelas vendedoras chatas que ficam atrás da gente tentando com todas as forças nos convencer que aquela roupa está ótima, que precisamos levar mais umas cinco blusas e duas calças pra combinar (isso quando a gente só tá lá pra comprar um par de luvas). Calçados, só tenho três pares de tênis todos ganhados, sendo que um (o que uso pra caminhar) está tão velho que é um milagre que eu nunca tenha ficado descalça no meio da rua. Sapatos, são apenas dois que minha mãe me fez experimentar com muito custo e como serviram, ganhei também. Sobre comprar bolsas então, melhor nem comentar.
E da série sonhos bizarros da Kami Sal: Estava eu em casa e fui para o quintal, onde encontrei o Summerlee da série Mundo Perdido e um monte de pipas e voando no meio delas, um peixe. Não uma pipa em formato de peixe, e sim um peixe de verdade (parecia uma carpa). E o Summerlee e eu começamos a brincar com o peixe de pegar...
E pra terminar o post, um dialogo em família que aconteceu há algum tempo aqui em casa. Estavamos Stafora, Mamãe e eu assistindo a uma das reprises do Furo Mtv, quando passou uma reportagem sobre amigos de aluguel que ganham uns R$ 200,00 só pra ir a festas ou conversar com algum ser que não tem amigos reais.
Kami Sal: "Ah, vou ser amiga de aluguel."
Stafora: "Você não é amiga nem de graça."
Kami Sal: "Ué? Uma pessoa não pode querer uma amiga sarcástica?"

Image and video hosting by TinyPic


Que me acha foda:

Mokona-sama: É vero...

Marcadores: , , , , ,

Postado por Josei e Kami Sal às 12:25 PM


|

domingo, agosto 16, 2009

Frase da Semana: "Se ele fosse mais inteligente, pregaria os pregos com a testa.", dita por Mamãe.

Image and video hosting by TinyPic


Respondendo:

Mokona-sama: Eu diria que as pessoas agora tem mais medo de espirrar na rua do que de estar com a gripe ficção cientifica... Eu já vi a Men's Health numa aula e ela é muito gay.

Suzan-chan: Odeio versões de musicas. Como assim comprei a carteira? Saiba que desde que tirei minha habilitação (há longinquos 8 aninhos), nunca levei multa.

Stafora-ni: Também duvido que as medidas vindas de um ser vivo que disse que pra evitar a gripe era só não chegar perto de porquinhos sejam de alguma valia. De mais a mais, com as mãos cheias de alcool, talvez os alunos se queimem, desmaiem de dor e parem de atrapalhar as aulas.

Layla-san: Eu entendo... Tenho receio até de tossir em publico.

Vana-san: Tia Josei diz de nada.

Marcadores:

Postado por Josei e Kami Sal às 10:04 PM


|

quinta-feira, agosto 13, 2009

Bem, estou descendo a estrada, mas isso não pode ser o paraíso


Photobucket Como eu disse no post passado e vou contar com detalhes em outro post, eu tive que fazer um trilhão de exames médicos de admissão. No dia em que eu fui fazer os exames de sangue, uma mulher estava dizendo que o médico disse "ariba" imitando o Francisco Cuoco na novela das 8. Eu que não assisto novela sei que eles não dizem "ariba", e sim "are baba". E mamãe disse que Francisco Cuoco nem nesta novela está...
Photobucket Eu quase entrei em choque no sábado. Estava fazendo as unhas com a TV ligada, estava na TV Xuxa, e Calcinha Preta e Sorriso Maroto estavam participando do quadro Karaokê, ou algo assim. Aí, vocês perguntam: "por que raios a TV estava neste maldito programa?" E eu respondo: liguei, deixei no canal que estava e coloquei meus pezinhos de molho, depois não podia mudar de canal porque o controle remoto morreu há eras. Como se já não estivesse ruim o suficiente, o vocalista do Sorriso Maroto começa a cantar uma música do Calcinha Preta. Eu não conhecia, mas reconheci aquele acompanhamento. Gente, fizeram uma versão cafona da linda Because I'm a Girl!!! Eu tive vontade de gritar "por quê??? Por quê???", de chorar, mas fiquei só em choque e meu cérebro bloqueou a letra em português.
Photobucket Ontem, era aniversário de um priminho e eu fui com meus pais e minha tia para Terra do Surf, levando bolo e presentes para ele. Fomos em um ônibus, digamos, alternativo. Na vera, não sei se ele é regularizado ou não, tudo o que sei desde criança é que é tosco. Só para terem uma ideia, o ônibus no qual fomos ontem era um ônibus urbano velho, com umas cortinas empoeiradas cinza escuras que algo me diz que já foram brancas. Tinha tantos ácaros, que se o ônibus quebrasse, os seres microscópicos podiam descer para empurrá-lo, enquanto os passageiros seguiam viagem tranquilamente.
Photobucket Chegamos na Terra do Surf no horário de almoço e diz o manual de boas maneiras que não se faz visita na hora da refeição, então sentamos na praça para comer salgado. Tínhamos levado de Bizarrelândia, porque sabe como é cidade pequena, tudo fecha para almoço, inclusive restaurantes e lanchonetes. Tinha um cachorrinho muito estranho lá. Nós jogávamos comida para ele e ele levava na boca para outro lugar. Se jogávamos onde ele estava comendo, ele pegava o pedaço e levava para um outro lugar.
Photobucket Depois do pic nic, fomos para a casa da tia Caçula, mãe do meu priminho aniversariante, levar o bolo. Saímos para ir ao cemitério e, na volta, encontramos o Museu Municipal. É quase do tamanho do de Bizarrelândia, mas tem mais coisas para ver. Achei bem interessante, mas o passeio teria sido melhor se o priminho não ficasse andando atrás de mim pedindo para usar a câmera, para tirar foto dele, para ir embora... Por que filhotes humanos são tão chatos? Passamos ainda na casa da tia Palíndroma, mas ela tinha deixado a casa aberta e saído.
Photobucket Na volta para a casa da tia Caçula, paramos em uma sorveteria e tomamos sorvete (jura?). Fizemos o aniversário do priminho na casa da tia Caçula e fomos para a rodoviária.
Photobucket Os ácaros me irritaram muito mais na volta para Bizarrelândia. Foram 40 minutos de viagem e eu espirrei durante cada um deles. Comecei a achar que iam me expulsar do ônibus no meio da estrada por isto e eu teria que voltar à pé.
Photobucket Aliás, não foi só na viagem que eu fiquei constrangida em espirrar. Com esta neura toda em torno da gripe (nova gripe, ou gripe suína, ou H1N1, ou, como eu prefiro chamar, gripe de ficção científica), quando eu espirro na rua, eu fico imaginando que vai surgir um helicóptero e dele descerão por cordas pessoas usando roupas de proteção contra ameaça biológica, isolarão a área, colarão um adesivo de "infectante" em mim e vão me levar embora em um furgão.

Photobucket

Marcadores: , , , , , , , , , ,

Postado por Josei e Kami Sal às 1:25 PM


|

[ As Bizarras ]



Photobucket























PhotobucketPhotobucket

[ Estamos... ]

The current mood of mundobizarro at www.imood.com

[ Já passou... ]

Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Julho 2008
Agosto 2008
Setembro 2008
Outubro 2008
Novembro 2008
Dezembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009
Janeiro 2010
Fevereiro 2010
Março 2010
Abril 2010
Maio 2010
Junho 2010
Julho 2010
Agosto 2010
Setembro 2010
Outubro 2010
Novembro 2010
Dezembro 2010
Janeiro 2011
Fevereiro 2011
Março 2011
Abril 2011
Maio 2011
Junho 2011
Julho 2011
Agosto 2011
Setembro 2011
Outubro 2011
Novembro 2011
Dezembro 2011
Janeiro 2012
Fevereiro 2012
Março 2012
Abril 2012
Maio 2012
Junho 2012
Julho 2012
Agosto 2012
Setembro 2012
Outubro 2012
Novembro 2012
Dezembro 2012
Janeiro 2013
Fevereiro 2013
Março 2013
Abril 2013
Maio 2013
Junho 2013
Julho 2013
Agosto 2013
Setembro 2013
Outubro 2013
Novembro 2013
Dezembro 2013
Janeiro 2014
Fevereiro 2014
Março 2014
Abril 2014
Maio 2014
Junho 2014
Julho 2014
Agosto 2014
Setembro 2014
Outubro 2014
Novembro 2014
Janeiro 2015
Fevereiro 2015
Abril 2015
Junho 2015
Setembro 2015
Outubro 2015
Dezembro 2015
Janeiro 2016
Agosto 2016

[ Em uma linha ]

Photobucket Photobucket

[ Musica ]

Photobucket
Blip Josei

Photobucket
Blip Kami Sal

[ Blogs favoritos ]

Muito Macho
Baiacus Cantores de Piraporinha
Encontre o peixe
Sentimentos Verdadeiros
Um Mundo Sem Noção
ISAC
Leis de Murphy
Ninguém lê esta porcaria
BHQ+
Orijinaru
Sorvete Napolitano
**Luty Kitty** Nyu!!
Tipo assim...
Miss Mymi
Frivolidades e Inutilidades
Coma Com Os Olhos
Gatos na Cozinha
Ponto de Fuga
Não bata no gatinho
Satisfeita Yolanda
Sócia da Light
Menina não pode
Receita Perfeita
Pitadinha
Gavilan

[ Flogs favoritos ]

Mundo Bizarro - o flog.
Picolé Napolitano
Flog da Luty
Toscosplay
Deviant Art
Mafia
Baby Mel
Pet Club

[ Sites ]

Mundo Bizarro no Orkut
SOS Anime
Sonando com KareKano
Shampoo.art.br
Henshin
Tomobiki-cho, The Urusei Yatsura Web Site
Friends the Stuff you've never seen
Central de Mangás
Um sábado qualquer
Lady's Comics
Manga Dream
Tsumi
Redisu
Anime Kawaii
Hinata Sou
Anime House
Anime Extremist
Shoujo House
Kawaii Screen
Neopets
AMV.org
Gendou
O Jovem Nerd
Nigthtsy
Anime Lyrics
LiveJournal Furuba
FanFiction.Net
FF-SOL
Click Jogos
Anime Blade
Anime Pró

Snoopy
Madame Malkins

Eu sou blogólatra!








[ Marcadores ]

"real e o sobrenatural"
acidente tosco
animais
anime
aniversário
apartamento
artesanato
banco
barata
biscuit
bizarrice
bizarrice IVCH
blogueira desaparecida
bonita história triste
campus reserva ecologica
Caramelo
Carnaval
carro
celular
Charlie Brown
churrasco
chuva
chácara
cinema
coisas que não entendo
comemoração
computador
culinária
desabafo
dialogo em família
dialogo
diálogo em família
divagações
doente
emo
especial de aniversário
estágio
faculdade
família
feriado
festa
flog
formatura
frase da semana
férias
gata
Gata-Vaquinha
gatos
gente chata
greve
hidroginástica
horário de verão
inseto
insonia
IVCH
jornalismo Mundo Bizarro
kit
Lady Murphy
lagartixa
leseira
livros
lost
Mamãe-Gata
mangás
máquinas
mimimi
música
nada
Natal
nerdice
neura
ônibus
Otaku Fest
outono
paranóia
pesadelo
pessoas estranhas
ponto de ônibus
presente
Quem procura acha aqui - ou não
reflexões inúteis
sonho
shopping
Sorveteria
SOS Anime
susto
televisão
template
teste
trabalho
trauma de infância
tristeza
vaidade
vergonha alheia
viagem

[ Campanhas ]

Adotar é tudo de bom

[ Midi ]

Você está ouvindo

I'll be there for you

[ ... ]



eXTReMe Tracker

Template by Kami Sal
Todos os direitos
reservados

Free Avatars
Free Avatars
Free Avatars
Free Avatars
Free Avatars
Photobucket
Blinkie Maker
Make your own Blinkie

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket